2.3.07

Não Esquecer o Tripé


Ah, não se esqueçam (eu esqueço-me muito) de levar um tripé para fotografar. Quase tão importante como a câmara! Quase tão importante como um filme ... ou um "cartão" digital!
E, já agora, façam o favor de visitar o Douro... é um mundo recheado de belas paisagens que merecem ser registadas. Não só de vinho vive o Douro!!! O resultado melhora se saírem das auto estradas, e fizerem o trajecto dos velhos tempos. Em cada curva, que são muitas, vale bem a pena parar para absorver todo o encanto destas paragens. E, como já fui dizendo, podem fotografar tanto em digital como em analógico (estes termos são o "fim do mundo") - a paisagem não se incomoda com isso. Mas, atenção, "se conduzir não beba" pois o perigo que correm tanto é mau para quem conduz como para quem se cruza connosco como, ainda, para quem fotografa! É que focar com os olhos muito pequeninos não dá jeito. Para pequenos já chegam os visores das câmaras fotográficas. Se não conseguir resistir então vá e venha de comboio! E, se não tiver um tripé, pelo menos um monopé!
Só uma achega - por muito de topo que seja a câmara fotográfica quando esta faz uma obturação baixa só mesmo um estabilizador (tripé ou monopé) consegue fazer que as imagens não apareçam tremidas ou escorridas.
Se realmente for de comboio, no Tua vá ao restaurante Calça Curta que é uma maravilha tanto pela antiguidade como pelo serviço.

Já agora visite o meu Blog “A Luz Que Desenha Imagens”
http://jorgerego.blogspot.com/

2 comentários:

soledade disse...

Que maravilha! Saiu do passado, assim húmida de novidade, como se tivesse acabado de nascer?!

artimanha disse...

Muito interessante o blog.

Já tive a sorte de fazer a viagem de comboio até ao Pocinho, é simplesmente um deslumbramento. Só de comboio se pode contemplar assim o Douro.