2.3.07

O Vapor em Portugal



"Vapeur Au Portugal" é um livro a não deixar de adquirir.
O seu autor é Marc Dahlstrom com a colaboração de Jean Bazot, Michel Costes, Philippe Feunteun, Eric Martin, Geoffrey Nickson, Guy Pèréve, Dominique Seret e Georges Turpin. Este livro faz alusão aos "Belos Anos do Vapor da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, à Via Larga e à Via Métrica" com imagens desde 1961 a 1986. São 176 páginas no formato 300 x 215 mm com 204 fotografias das quais 54 a cores. Coleccção Rail-Amateur.
"O apogeu da tracção a vapor chegou a um máximo de 400 locomotivas a vapor na via larga e 80 na via métrica. As de via larga eram na sua maioria de duplo efeito a quatro cilindros do tipo francês, com a distribuição das altas e baixas pressões separadas. Durante a Segunda Guerra Mundial a penúria do carvão (que era importado de Inglaterra) levou a CP a recorrer ao aquecimento com madeira para as suas locomotivas, o que foi um desastre para a floresta portuguesa. Depois de 1945, as locomotivas tiveram que ser mantidas e as mesmas eram abastecidas com aquecimento a fuel-oil. Somente as máquinas antigas cuja esperança de vida era curta conservaram o aquecimento a carvão."

1 comentário:

Biby Cletus disse...

interesting stuff you have got here keep up the good work. wonderful picture be in touch

regards Biby - Blog