7.10.09

Restaurante Calça Curta

Quem passeia ao encontro de comboios acaba sempre por almoçar ou jantar em restaurantes que, embora desviados das estradas principais, oferecem petiscos do arco da velha! É o caso do Restaurante Calça Curta na Foz do Tua, mesmo em frente à estação de caminho de ferro. Aqui poderá comer peixe de rio em escabeche, caldeirada de enguias e um polvo (que embora não seja do rio) é uma delícia. Da última vez que lá fui enchi-me de coragem e pedi ao proprietário que me vendesse um prato de mesa para ficar como recordação o que ele prontamente mas à socapa, para os outros clientes não verem, o embrulhou num saco de papel e me ofereceu.
Fiquei radiante pois, isto é mais um símbolo ligado aos comboios, às estações de caminho de ferro e sobretudo ao Tua que neste momento padece de quem olhasse com olhos de ver e não só com olhos de olhar para o problema inerente ligado à tal absurda barragem que mais não é que um simples negócio uma vez que o caudal que a mesma irá representar é insignificante.
Para quem ainda não conhece este local deverá visitá-lo enquanto o mesmo ainda permanece como quando nasceu! A noite é um espectáculo só com a luz amarelada e ténue da estação a cair sobre a linha... quase se consegue ouvir o silvo das velhas locomotivas a carvão e o fumo das mesmas a envolver o cenário!

7 comentários:

analima disse...

Bem, acho que me convenceu. Quando puder acho que vou até à foz do Tua e ao Calça Curta.

Luis Miguel disse...

Fiquei curioso Sr Jorge ! Costumo fazer mais ou menos isso é quando vou a Régua. Sair daqui de manhã , almoçar uma boa "cabritada" e depois vir ao fim do dia para casa. Divinal !!! Lindas paisagens e boa comida !!

joao silva disse...

Já lá comi e gostei , aquando a minha visita de comboio ao Pocinho e Tua .... Vale a pena a visita , tanto pela paisagem como pela comida....

Luis Miguel disse...

Aqui o sr joão também deve ser um bom garfo !!

Calça Curta disse...

Sr.Jorge:
A família Calça Curta muito se lisonjeou ao ler os seus comentários acerca do serviço prestado aqui no nosso restaurante. Assim, aguardamos nova visita, esperando que, aquando da mesma, se identifique, para que lhe possamos agradecer pessoalmente.

Pereira disse...

Calça curta fiquei sem palavras gente umilde muito boas pessoas ja conhecia conheci calça curta 1988, grandes renovaçoes a nivel hotelaria e restauraçao comer de boa colidade. vao conhecer nao se arrependem daqui do luxemburgo da familia luis pereira um grande abraço para o nosso grande amigo calça curta e familia

Jorge disse...

Estive lá há cerca de uma semana. A intenção era provar os peixinhos de rio, um sabor de infância que me apetecia recordar. Provei-os, achando-os fritos para além do razoável, embora compreendenda que haja, efectivamente, quem os prefira assim. Bom acompanhamento de cebolada, batatas normais, arroz nem bom nem mau. Enfim, comeu-se. O melhor: a vista (aspecto, de resto, extrínseco ao restaurante). O pior: o vinho, uma zurrapa manhosa que dói beber quando diante dos olhos se derramam, prenhes de néctar, as vinhas do Douro. As sobremesas: outro barrete. Do queijo com compota de figo só esta última merece o nome, porquanto o primeiro não passa de industrial mistura de iogurte magro e batata. Em suma: tempo e dinheiro não inteiramente perdidos, mas fraca ânsia de lá voltar.